Caricaturas Portuguesas dos Anos de Salazar
Clique na imagem para ampliar

Caricaturas Portuguesas dos Anos de Salazar

35,90 €
  • ISBN: 9789896716745
  • Idioma: Português
  • Tipo: Livro
  • Estado: Novo
  • Editora: TINTA DA CHINA
  • Autor: Manta, João Abel
Tema: Arte, Arquitectura e Design

Procure o livro que tanto deseja

Selecione a quantidade prentendida, da Livraria que mais lhe convém

Pode encomendar livros em diferentes livrarias

Coloque os seus dados de contato e finalize o seu pedido

Irá ser contatado pelos Livreiros sobre a sua encomenda

Livrarias

Livraria Localização Estado Quantidade
GATAfunho Lisboa, Oeiras Disponível -+
Fonte de Letras Évora, Evora Disponível -+
  • Descrição

Lançado originalmente no Natal de 1978 pelas Edições O Jornal, Caricaturas Portuguesas dos Anos de Salazar foi o primeiro livro totalmente do seu autor, já então ilustrador e cartoonista de referência.
Livro‑testemunho da excelência a vários níveis de João Abel Manta, representou, ao mesmo tempo, o regresso do celebrado desenhador desde o fim do Período Revolucionário em Curso, uma afirmação artística, uma prova de resistência política e um testamento pessoal e geracional. E, acima de tudo, um acerto de contas definitivo com a memória de Salazar e do seu regime. Foi e continua a ser tudo isso — agora reeditado tal como existiu na sua ambiciosa primeira edição, porque é essencial que o trabalho de João Abel Manta continue vivo também nas livrarias.

«Entre essas duas séries, desfilam as dezenas de patéticas, sinistras, grotescas figuras que representam os Anos de Salazar, mas também séries de figuras míticas ou históricas que o Estado Novo envolveu no seu manto de propaganda (Camões, Santo António, Nossa Senhora de Fátima), momentos definidores do regime no seu início, como a Guerra Civil de Espanha, ou, em particular, uma sequência de três séries (Detenção, Interrogatório e Segredo) em que Manta, o antigo preso político, investiu as suas próprias memórias de Caxias em 1948. […] Tal como Goya e Grosz, Manta revelou aqui uma rara capacidade de análise de um tempo e de uma geografia cultural e, sobretudo, de a transformar num objecto de pura expressão pessoal, investindo toda a sua mestria técnica.»
– Pedro Piedade Marques, no Posfácio inédito incluído nesta edição.

Main Menu