Contrabando Original
Clique na imagem para ampliar

Contrabando Original

16,00 €
  • ISBN: 978-989-8828-30-9
  • Depósito legal: 425663/17
  • Edição: 2017
  • Idioma: Português
  • Tipo: Livro
  • Estado: Novo
  • Editora: Companhia das Ilhas
  • Autor: GARCIA, JOSÉ MARTINS
Tema: Literatura Portuguesa, Prosa
Colecção: OBRAS DE JOSÉ MARTINS GARCIA 

Procure o livro que tanto deseja

Selecione a quantidade prentendida, da Livraria que mais lhe convém

Pode encomendar livros em diferentes livrarias

Coloque os seus dados de contato e finalize o seu pedido

Irá ser contatado pelos Livreiros sobre a sua encomenda

Livrarias

Livraria Localização Estado Quantidade
Livraria da Companhia das Ilhas Açores, Lajes Do Pico, Portugal Disponível -+
  • Descrição

“Contrabando Original” é um romance que ocupa um lugar especial adentro da produção literária de José Martins Garcia. Lugar justificado pela mestria narrativa e perfeição estilística, pelo modo como fornece ao leitor uma espécie de súmula dos mundos ficcionais até então criados e um refinamento da irreprimível veia crítica (satírica, irónica, sarcástica) que o distingue.
Mestre de uma arte narrativa que domina na prática e na teoria, Martins Garcia oferece-nos neste livro uma rede de grandes e pequenos problemas engendrados a partir da imaginária localidade de Monte Brabo, com extensão à América, lugar de sonhada prosperidade.
As referências históricas, sociais e culturais, corroboradas pelo mais que conhecemos da obra do autor, fazem deste romance muito mais do que uma história bem contada e revelam-no como uma ampla e talvez angustiada questionação ao mundo.
A religiosidade pouco esclarecida e a emigração constituem alguns dos temas satiricamente explorados. Monte Brabo, ponto de observação donde o narrador vê o mundo, é também ponto de referência e posto de vigia para tudo o que existe fora dele. Também por aí é convocado o tema da emigração, quando ainda se viajava de barco para a América ou quando era de uso, para grande satisfação dos insulares, enviar cartas com dólares ou sacas de roupa, realidade bem conhecida dos açorianos ainda nas décadas de 50 e 60 do século XX.

Main Menu